As lembranças do Ensino Médio podem assombrar a qualquer um, principalmente, se você foi aquela pessoa que sempre era a última a ser escolhida na hora da educação física ou de alguma outra brincadeira. Isso pode ter te causado uma grande aversão aos esportes, fazendo você considerar nunca mais realizar algum. Ou você pode lembrar do seu tempo de colégio e de como era o queridinho do professor. Fazia pontos e gols, e era o capitão do time no recreio, fazendo você ter um verdadeiro amor pelo esporte, seja qual for, e todas as vantagens trazidas por ele.  A qual dos dois você pertence?

Uma publicação recente da VOX reuniu alguns fatos que se basearam em 33 estudos, e entenderam que existe um fundamento científico para explicar esse padrão de comportamento, independente de qual dos dois seja.

Quem nunca ouviu a frase: “a prática leva a perfeição”? O autor da frase não poderia estar mais errado. Uma das descobertas do estudo é que a prática representa apenas 18% pela qual um jogador é considerado melhor do que o outro. Concluindo assim que algumas pessoas são simplesmente melhores do que as outras em termos de atividades e exercícios físicos.

No entanto, não queremos dizer com isso que se você praticar não vai se desenvolver na sua atividade. A questão é que algumas pessoas conseguem melhorar com menos prática e outras somente com muita mais dela. E a idade, fator bastante relevante quando consideramos que uma pessoa começou muito nova, também se mostrou neutra aos resultados.

A diferença de desempenho entre algumas pessoas é explicada por um conjunto de motivos, tais como: a personalidade, a perseverança, consumo de oxigênio, diferença de ganho muscular, coordenação motora, altura e etc. Muitos são os fatores que podem ser considerados importantes, por isso não podemos escolher apenas um para ser o principal. A ideia do estudo, foi apenas para rebater teorias de que qualquer um pode se tornar um atleta contanto que treine.

Voltemos ao início do texto e a alusão aos tempos de escola. Se seu filho ou algum conhecido está passando pela mesma situação do primeiro caso citado no começo desta matéria, você precisa encorajá-lo a realizar alguma atividade física.

Um estudo realizado nas escolas do Rio de Janeiro apontou índices assustadores de sedentarismo – 85% entre os meninos e 94% das meninas.  De acordo com as pesquisas, a desistência de praticar atividades físicas inicia a partir dos 11 anos e de forma crescente até a fase adulta. Por isso é de suma importância envolver todos os jovens em uma prática consciente, onde eles se sintam confortáveis a praticar exercícios rumo a uma vida mais produtiva e saudável.

Procure lembrar a eles que todo esse “martírio” vai passar! E principalmente, não os force a realizar uma atividade física na qual eles não têm afinidade, pela contrário, existem mais de 50 modalidades de esportes. Estimule o(a) seu(ua) adolescente, a tentar modalidades diferentes e se adaptar diante dos obstáculos apresentados pelo seu corpo.

 

Fonte: SESC SC e MegaCurioso