Em novembro, publicamos um post do blog falando sobre a relação das atividades físicas com a memória. Utilizamos como base dois estudos internacionais – um do Jornal o Alzheimer Disease e outro do periódico Neurobiology of Learning and Memory – e um estudo nacional da Universidade Federal de Goias com o Centro Universitário UniEvangélica.

As pesquisas tinham em comum a descoberta dos benefícios das atividades físicas na saúde cerebral, atestados pela participação de idosos com riscos para o Alzheimer, no estudo internacional e idosos praticante e não praticantes de atividades físicas na pesquisa brasileira.

Essa semana, foi divulgado um estudo feito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) sobre o benefício da atividade física na ajuda ao combate da Doença do Alzheimer em seu estágio inicial.  A grande descoberta gira em torno das atividades físicas e seus benéficos em relação ao hormônio “Irisina”. Esse hormônio já era de conhecimento dos pesquisadores, do ponto de vista de que sua produção se dá no músculo onde ajuda a regular o metabolismo do tecido adiposo, local que armazena a gordura corporal, no entanto a grande descoberta foi que a sua produção também se dá pelo cérebro.

O novo estudo mostra os efeitos benéfico no cérebro ao promover mecanismos que protegem as sinapses e favorecem a manutenção de memórias. Lembrando que há fortes indícios que a Doença do Alzheimer se dá pelas falhas na comunicação entre os neurônios (sinapse). Há também o fato de que, na pesquisa, foram encontrados baixos níveis de Irisina no cérebro de pacientes afetados pela doença.

Para confirmar a hipótese, os pesquisadores da UFRJ descobriram que essa perda de hormônio pode ser reposta por exercícios físicos, além de outras formas. Os testes com cobaias mostraram que essa reposição foi capaz de reverter a perda de memória dos camundongos afetados e através disso foi comprovado que a Irisina atua como responsável pelos efeitos benéficos do exercício na memória deles.

Com isso está mais do que comprovado que a atividade física é o grande diferencial na vida daqueles que buscam uma vida saudável. Seus benefícios vão além de estéticos, e são fatores cruciais para mudanças na saúde de nossos organismos.

Fonte:  UFRJ